Ideias de festa de Halloween 2020

Policial dirige caminhão encontrado com 39 corpos em Grays, na região de Essex, na Inglaterra, na quarta-feira (23) — Foto: Ben Stansall / AFP
Policial dirige caminhão encontrado com 39 corpos em Grays, na região de Essex, na Inglaterra, na quarta-feira (23) — Foto: Ben Stansall / AFP

A polícia britânica informou neste sábado (26) que ainda não tem a confirmação da identidade dos 39 mortos encontrados dentro de um caminhão em Essex, na Inglaterra, nesta semana. Inicialmente, a corporação acreditava que todos eram chineses, mas agora, há suspeita de que ao menos parte deles eram vietnamitas. Um homem foi declarado como culpado.

Durante uma entrevista coletiva para a imprensa, a polícia disse que ainda ainda levará um tempo até a descoberta da real identidade das vítimas. De acordo com a agência AFP, existe a suspeita de que os mortos tinham passaportes chineses falsificados, dificultando o processo de reconhecimento.

A polícia prendeu e acusa o motorista do caminhão, Maurice Robinson, de 25 anos, por homicídio, conspiração em tráfico de pessoas e em imigração ilegal, além de lavagem de dinheiro. Outras três pessoas já foram presas suspeitas de participarem da morte das 39 pessoas.

Vietnamitas entre os mortos
Ainda segundo a AFP, ao menos duas famílias vietnamitas temem que seus filhos estejam entre as 39 vítimas — 31 homens e 8 mulheres.

Nguyen Dinh Gia, pai de um jovem de 20 anos, disse à agência que recebeu, há alguns dias, um telefonema informando que seu filho morreu quando tentava chegar ao Reino Unido.

Já o irmão de Pham Thi Tra, de 26 anos, disse ter recebido uma ligação do irmão dizendo que não conseguia "respirar mais" e que estava "prestes a morrer".

O primeiro-ministro do Vietnã, Nguyen Xuan Phuc, ordenou que as autoridades locais determinem se os cidadãos vietnamitas realmente estão entre as 39 pessoas encontradas no caminhão.

Nguyen Xuan Phuc, primeiro-ministro do Vietnã — Foto: Carl Court/Pool/ReutersNguyen Xuan Phuc, primeiro-ministro do Vietnã — Foto: Carl Court/Pool/Reuters
Nguyen Xuan Phuc, primeiro-ministro do Vietnã — Foto: Carl Court/Pool/Reuters


Segundo a agência Reuters, o primeiro-ministro disse que “quaisquer violações serão estritamente tratadas". O Ministério das Relações Exteriores do Vietnã comunicou que havia instruído sua embaixada de Londres a ajudar a polícia britânica na identificação de vítimas.

Rota do caminhão
Os corpos dentro do caminhão foram encontrados na madrugada de quarta-feira, em uma zona industrial da cidade de Grays. A polícia britânica foi alertada pelo serviço de emergência sobre os cadáveres e agora investiga a rota que o caminhão percorreu até lá.

O que se sabe até agora é que:

O carroceria do caminhão chegou aproximadamente às 23h30 de segunda-feira (horário local) a Purfleet, porto do Tâmisa, procedente de Zeebrugge, Bélgica.
A cabine partiu de Dublin, na Irlanda, e entrou no Reino Unido pela cidade portuária de Holyhead, no País de Gales, no domingo (20).

As autoridades búlgaras também confirmaram o emplacamento do veículo na Bulgária em 2017, mas afirmaram que o veículo não retornou ao país desde então. "Não há conexão, apenas com as placas", declarou o primeiro-ministro búlgaro, Boyko Borissov.

Outros casos
Ainda quarta-feira, a polícia de Kent também anunciou que localizou e transferiu para as autoridades de imigração nove pessoas encontradas vivas em um caminhão em uma rodovia ao sudeste de Londres.

Em junho de 2000, 58 imigrantes chineses foram encontrados sufocados em um caminhão em Dover. Entre eles, foram encontrados dois sobreviventes, de acordo com a BBC. Um motorista holandês foi preso no ano seguinte por homicídio culposo.

Em agosto de 2015, no auge da crise migratória, um caminhão frigorífico com 71 corpos de imigrantes foi encontrado abandonado no leste da Áustria. O veículo havia deixado a Hungria, que era rota dos dezenas de milhares de refugiados que fugiam do Oriente Médio e na África.

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.